Dicas

Como cultivar Orquídeas epífitas

A família Orchidaceae é a maior família botânica do planeta, está presente em quase todos os continentes excerto nos árticos, a família está representada em todas as formas de cultivo: terrestre, epífita, rupícola, saprófito e aquática, hoje é considerado o segundo maior hobby do mundo graças aos seus colecionadores apaixonados que a cada dia só cresce por todos os lugares, e devido esse grande número de colecionadores vamos falar um breve de seu cultivo epífita que corresponde a 80% da sua família.

As orquídeas epífitas como o próprio nome sugere ocorrem agarradas nas árvores, então que tipo de substrato e cuidado deve-se ter com essas plantas? Qual melhor forma de adubação? Qual melhor luminosidade? Como devo molhar? Como reproduzo?
Para começar vamos logo tirar da mente a ideia de que orquídeas são parasitas, muitos tem essas dúvidas, mas não gente, as orquídeas não são parasitas, elas não sugam as árvores elas só se apoiam, usam os galhos como suportes para assim viverem, se fossem parasitas morreriam fora desses galhos, correto. As orquídeas produzem seus próprios alimentos, elas possuem em sua estrutura uma parte chamada bulbos, nesses bulbos elas armazenam todo nutriente que captam durante o dia e de lá se alimentam.

O substrato das plantas epífitas são em geral: casca de arvore, fibra de coco, pedras de carvão vegetal, e qualquer material que não contenha terra, pois as plantas epífitas morrem em contato com terra, devido contaminação por fungos. A melhor forma de adubação até hoje para as orquídeas epífitas é a adubação liquida, encontramos esse tipo de adubo em qualquer floricultura ou casa agrícola, a luz ideal para cultivar orquídea é a luz filtrada, ou seja nunca expor a orquídea diretamente ao sol, vende-se nas casas agrícolas telas de sombrite próprias para esse fim, ou cultiva-las em baixo das arvores, também pode se cultivar a penas pegando o sol da manhã, nunca o sol da tarde que já seria forte demais.

As orquídeas não necessitam de regas todos os dias salvo em regiões muito quentes, fora isso pode-se molhar suas orquídeas um dia sim outro não, em lugares abertos em período de chuvas essa rega pode ser duas vezes por semana. A reprodução dessas plantas em cativeiro se restringe em duas formas: por semente ou por cortes de rizoma, sendo que a primeira opção não é viável para cultivo amador, as orquídeas principalmente as cattleyas tem simbiose com um fungo, e suas sementes só nascem quando caem onde tem esse fungo presente, os laboratórios sintetizam o fungo por isso conseguem reproduzi-las coisa que um colecionador amador teria que montar pelo menos o mínimo de estrutura para tentar a reprodução em casa. Já a segunda opção é mais lenta e mais pratica porque através de cortes a pessoa começa devagar reproduzir claro que sem as mesmas quantidades que conseguiria com as sementes.

Este foi um artigo breve sobre cultivo de orquídeas continuem nos acompanhando que logo teremos mais artigos. Se quiserem mandar sugestões para artigos entrem em contato pelo nosso e-mail contato@wfplantasdaamazonia.com.br ou deixe seu comentário abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *